Santa Catarina vai ganhar o primeiro empreendimento frente mar com fachada ventilada

Apesar de ainda ser pouco usada em edifícios residenciais, a fachada ventilada vem ganhando espaço na construção civil pela rapidez na instalação, economia de material e menos peso, pois não necessita de reboco ou argamassa colante.

Hildebrando Amaral, um dos proprietários da AMS Empreendimentos explica que “a fachada ventilada é uma estrutura metálica que vem pronta e é instalada sobre a construção com hastes de sustentação”. É sobre esta estrutura que o acabamento, seja de porcelanato, vidro, metal ou madeira é encaixado. Amaral revela que Florianópolis vai ganhar o primeiro condomínio residencial frente mar de Santa Catarina com esta tecnologia. O empreendimento será construído no bairro Campeche, no sul da ilha.  Ele lembra que materiais com esse tipo de solução elegante e sustentável na fachada mostraram grandes resultados estéticos, ambientais e financeiros fora do país. É uma tecnologia que proporciona uma construção a seco, com montagem rápida, poucos resíduos e de manutenção simples ao longo dos anos.

A fachada ventilada consiste em fixar várias barras de alumínio ou inox nas paredes da parte de fora do prédio, formando um suporte além dessas paredes. É como imaginar uma embalagem de metal toda entrelaçada por fora da estrutura original do imóvel. A fachada ventilada pode ser instalada em partes ou em toda a estrutura principal. É nessa nova parede externa que será instalado o revestimento, que pode ser pedra natural, cerâmica, porcelanato, fibrocimento, vidro, por exemplo.

“Como a alvenaria do prédio e a nova fachada ficam distantes por causa da estrutura metálica, se forma no vão entre elas, um tipo de chaminé, beneficiando a circulação do ar, por onde o ar quente sobe e suga o ar frio, propiciando conforto térmico e consequentemente redução no gasto de energia elétrica com ar-condicionado”, esclarece Amaral.

No empreendimento de Florianópolis, a fachada vai ganhar acabamento em cerâmica e placas fenólicas. O empresário explica que o material é o mais inovador da atualidade. Compostas por papel kraft e resinas fenólicas e uma camada externa de polímero sintético, criam um material resistente, durável e leve. Têm excelente comportamento térmico, alto nível de força e resistência, longas estabilidades térmica e mecânica, excelente capacidade de agir como isolante elétrico e térmico. Amaral ainda lembra que elas são mais resistentes à abrasão, impactos e arranhões, podendo ser usadas em áreas de alta incidência de maresia.

Outra vantagem da fachada ventilada é o tempo de construção. Como a estrutura vem quase pronta, necessitando apenas a montagem no local com fixação nas paredes e o encaixe do acabamento, sem uso de argamassa e reboco, a obra leva menos tempo, além de gerar pouco resíduo. Acaba sendo uma obra mais limpa e mais sustentável. “Sem contar que, como o vão fica sempre livre entre as duas estruturas, é possível fazer alterações elétricas e hidráulicas da fachada por fora do prédio, o que torna as reformas mais baratas, sem quebradeira e sem sujeira dentro dos apartamentos”, complementa Hildebrando Amaral.