HU-UFSC realiza programação alusiva à Semana Mundial de Aleitamento Materno

Possibilitar a amamentação e dar suporte às mães e pais que trabalham é o tema da campanha da Semana Mundial de Aleitamento Materno em 2023. Pensando nisso, o Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (HU-UFSC), vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), realizará, nos dias 3 e 4 de agosto, uma programação voltada para todas as colaboradoras da instituição, principalmente gestantes e lactantes.

A programação conta com uma série de palestras informativas com temas relacionados à legislação voltada à mulher trabalhadora que amamenta, desafios do retorno ao trabalho após a licença maternidade, e manejo da amamentação no momento da volta. A iniciativa é da Comissão de Acompanhamento da Iniciativa Hospital Amigo da Criança do HU-UFSC.

Além das atividades específicas da Semana Mundial, durante todo o mês de agosto será realizada uma exposição fotográfica no hall do HU, com a colaboração de dez profissionais lactantes que retornaram ao trabalho e continuam amamentando seus filhos.  As fotos trarão imagens destas mães em diferentes cenários, amamentando seus filhos, fazendo a extração de leite, além de contar com reflexões destas mulheres relacionadas a experiência do aleitamento materno, retorno ao trabalho e rede de apoio.

“Pensamos em nós, mulheres trabalhadoras, maioria dos profissionais deste hospital, sendo que muitas de nós já passaram por este momento, outras estão passando por uma gestação ou têm filhos pequenos e ainda amamentam, e há ainda aquelas que irão vivenciar esta experiência”, explica a enfermeira Isabel Maliska, da Unidade de Atenção à Saúde da Mulher do hospital.

Programação

No dia 3 de agosto, a programação será das 16h às 17h; e no dia 4, das 10h às 11h, visando contemplar o maior número possível de trabalhadoras nos dois turnos. Um dos objetivos, segundo a enfermeira Isabel Maliska, é chamar as trabalhadoras de todos os vínculos empregatícios, incluindo as terceirizadas.

“Sabemos que o retorno ao trabalho é um momento que muitas vezes culmina no desmame da criança, pelas dificuldades impostas à mulher neste processo”, explica a enfermeira. Por isso, segundo ela, a campanha busca destacar a amamentação no contexto laboral, chamar a atenção para importância de uma rede de suporte que comece na família e se estenda até o ambiente de trabalho, e auxiliar na busca de estratégias práticas e possíveis que permitam a continuidade do aleitamento materno.

Confira abaixo a programação dos dias 03/08 (16h às 17h) e 04/08 (10h às 11h):

  • Legislação voltada à mulher trabalhadora que amamenta – Karem Trabuco, Assistente Social do HU-UFSC;
  • Desafios do retorno ao trabalho após a licença-maternidade: aspectos psicológicos – Zaira Custódio, Serviço de Psicologia da Maternidade do HU-UFSC;
  • Manejo da amamentação no momento da volta ao trabalho: extração e conservação do leite materno – Central de Incentivo ao Aleitamento Materno do HU-UFSC.

Semana Mundial de Aleitamento Materno

Em agosto é celebrado o mês do aleitamento materno e a Semana Mundial de Aleitamento Materno. Nesse período, práticas de incentivo e divulgação da importância da amamentação na vida do bebê são realizadas em vários países. Esse ano, o tema da Semana Mundial de Aleitamento Materno é “Possibilitando a amamentação: fazendo a diferença para mães e pais que trabalham”, tendo como objetivo chamar atenção para a importância do apoio no local de trabalho para a continuidade da amamentação.

Suporte à amamentação

Paula Monteiro, 34, atua no Laboratório de Análises Clínicas do HU-UFSC. Há oito meses ela teve a filha Isabel e há dois meses voltou ao trabalho com o desafio de manter a prática do aleitamento materno, que foi possível graças ao apoio recebido no HU por meio do Banco de Leite Humano (BLH) e da sala de apoio à mulher trabalhadora que amamenta. Essa é uma das iniciativas nos hospitais vinculados à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Os hospitais da Rede Ebserh promovem as boas práticas da amamentação desde a formação de profissionais da saúde capacitados e sensíveis à importância do “alimento padrão ouro”, passando pelo atendimento direto a usuárias SUS (gestantes e puérperas) e aos seus recém-nascidos, até o apoio às próprias trabalhadoras lactantes.

Paula Monteiro é uma das colaboradoras que recebe o suporte do HU-UFSC. Ela faz a ordenha do leite materno na sala de apoio e armazena-o até a hora de ir embora e levá-lo para a filha, que é cuidada pelo pai durante sua ausência. “A minha bebê é muito saudável, com toda alegria do mundo eu consigo amamentar ela exclusivamente, em livre demanda, então ter esse incentivo do HU que me possibilita ter uma rotina de ordenhas, facilita demais, para não perder a produção”, finaliza Paula Monteiro, colaboradora do HU-UFSC. De acordo com o Ministério da Saúde, quanto maior a frequência com que a criança mama, maior é a produção de leite.