Floripa Tap, um dos maiores festivais de sapateado da América do Sul

Evento acontece entre os dias 19 e 23 de abril, com apresentações abertas ao público no Floripa Airport, workshops, debates e oficinas direcionadas no Hotel Sesc Cacupé, além da Noite de Gala no CIC

A 12ª edição do Floripa Tap – Festival Internacional de Sapateado traz mais uma vez para a capital de Santa Catarina importantes sapateadores do cenário mundial e nacional, com uma programação de qualidade para a população do estado. Entre os destaques do evento, considerado um dos maiores da América do Sul, estão a sapateadora estadunidense Maud Arnold e o sapateador suíço Daniel Borak, além dos brasileiros Lucas Santana, Bia Mattar e Ana Gori. Os professores de dança Diego Tavares, Hugo Oliveira e Vivian Shimizu também participam desta edição do festival.

Destaque ainda para Marina Coura, uma referência no sapateado brasileiro, professora e diretora da Garagem da Dança, idealizadora do Floripa Tap. “Estamos mais um ano reunindo pessoas apaixonadas pela dança e pela música para trocar vivências artísticas, promover debates e reflexões e movimentar o cenário artístico da cidade, oportunizando o acesso a apresentações culturais”, destaca Marina, que nasceu no estado de São Paulo, morou em Nova York e se estabeleceu em Florianópolis há 13 anos. “Cheguei aqui em 2009 com o sonho de tornar o sapateado mais democrático às pessoas, agregando ano a ano e chegando na 12a edição do festival”, relembra a artista, que também é diretora da Cia. Trupe Toe, grupo de sapateado que desenvolve projetos e espetáculos pelo Brasil.

O Floripa Tap 2023 contará com a participação de renomados musicistas locais, como Dandara Manoela, Marissol Mwaba, Luiz Gustavo Zago, Leandro Fortes, Verônica Kimura, Ana Rosa, Chico Martins (Dazaranha) e todas as integrantes do Grupo de Choro Mulheril. A programação do festival será extensa, incluindo apresentações gratuitas abertas ao público no Boulevard 14/32 do Floripa Airport e uma aula inusitada de afrofunk e house dance na Praia da Joaquina.

Contará ainda com espetáculos na sua tradicional Noite de Gala, no Teatro Ademir Rosa, no CIC, e uma programação técnica com workshops, aulas e oficinas direcionadas, no Hotel Sesc Cacupé. “Teremos um formato diferente na parte técnica neste ano, com workshops possibilitando uma vivência mais aprofundada entre os/as participantes e os/as artistas, fomentando a profissionalização. Ao final, os participantes construirão juntos um espetáculo, com coreografia, música, iluminação e cenário, que será apresentado no palco montado no Floripa Airport”, destaca Marina. “Queremos propor uma construção artística de um tempo maior e que engloba todas as partes da concepção de um espetáculo, ajudando a fomentar a profissionalização da classe, saindo do lugar comum de apresentações mais curtas de 5 minutos, habitualmente usadas em festivais competitivos”, destaca Marina. Dentro deste objetivo, o evento ainda oferece três importantes oficinas, de iluminação cênica, sonorização e escrita de projetos para leis públicas de incentivo.

Algumas oficinas do evento são gratuitas e abertas ao público. Uma, focada em pessoas com mais de 50 anos, oferecida pela professora Bia Mattar, no dia 22 de abril, sábado. E outras duas destinadas às pessoas surdas, ministrada por Marina Coura no dia 23 de abril, domingo. Pessoas ouvintes também poderão participar destas oficinas. “As atividades têm como propósito democratizar o acesso à dança a diversos grupos e demonstrar que o sapateado é para todas as pessoas”, diz Marina.

Um importante debate, com um tema relevante para mudanças em nossa sociedade, marca esta edição do festival. “Dança em diáspora: colonialidade e branquitude”, com Ana Gori, Cauane Maia, Hugo Oliveira e Lia Vainer. Com entrada gratuita, irá acontecer no dia 21/04, às 17h30, no Hotel Sesc Cacupé.

Programação gratuita no Floripa Airport

No dia 19 de abril, quarta-feira, a programação começa com apresentação de Luiz Gustavo Zago Trio com artistas convidados e, após, uma mostra de dança com diversos grupos do Brasil. No dia 20, quinta-feira, o show é por conta de Ana Rosa e Chico Martins, seguido do espetáculo “Vida” – do grupo Jovens de Coração, do espetáculo “Tap, a história” – do grupo Blacks on Tap, e da obra “Se não agora, quando?” – da Cia. Trupe Toe, que enfatiza a busca pela equidade de gênero e raça, falando sobre justiça social.

Na sexta-feira, dia 21, é a vez das apresentações musicais de Leandro Fortes Trio, da Roda de Choro Mulheril e de Dandara Manoela, uma potência vocal. No último dia de festival, dia 23, domingo, serão apresentados os espetáculos assinados por Daniel Borak, Maud Arnold e Lucas Santana, que terão como elenco os participantes dos workshops de quatro dias do Floripa Tap. Por fim, a cantora Verônica Kimura encerra as apresentações gratuitas do Floripa Tap no Floripa Airport.

Noite de Gala

No dia 22 de abril, sábado, a partir das 20h30, acontece a Noite de Gala, cujos ingressos já estão disponíveis no site da Blueticket. A noite especial no Centro Integrado de Cultura reúne no palco artistas internacionais e nacionais, além de músicos embalando a trilha sonora ao vivo: Claudia Rivera, Addia Furtado, João Peters, Dandara Manoela e a convidada especial, Marissol Mwaba, cantora e compositora multi-instrumentista brasileira de origem congolesa que já colaborou com artistas importantes como Emicida e Rincon Sapiência. A apresentação de quase duas horas é a única atração no festival com venda de ingressos. (serviço e valores abaixo).

O Floripa Tap 2023 é um projeto realizado com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura, através do Ministério da Cultura, com patrocínio das empresas Sistran e Teltec. Produto cultural parcialmente patrocinado pelo Município de Florianópolis por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Modalidade de Doação), com apoio cultural da Floripa Airport e Loja do Guarda Pó. Distribuição gratuita proporcional ao incentivo.

Ano de comemoração

Além do Floripa Tap, Marina Coura também festeja os 15 anos da Garagem da Dança e os 11 anos da Cia. Trupe Toe. Atualmente o grupo apresenta a montagem “Se não agora, quando?”, que terá exibição no Floripa Tap. “Ensinar sapateado vai além de aprender técnicas e movimentos. É provocar reflexões sociais nas pessoas por meio da dança”, ressalta.

SERVIÇO

Floripa Tap – Festival Internacional de Sapateado
Quando: 19 a 23 de abril
Onde: apresentações gratuitas: Boulevard 14/32 (Floripa Airport).
Noite de Gala: Teatro do CIC. Ingressos disponíveis na Blueticket.
Oficinas técnicas: Hotel Sesc Cacupé
Programação completa e inscrições para as oficinas:https://floripatap.com.br/

FOTOS: 

Coreógrafa e idealizadora do Floripa Tap, Marina Coura. Crédito: Sabrina Stahelin

Espetáculos | Noite de Gala | Oficinas – Crédito: Tóia Oliveira