Festival Internacional de Cinema gratuito

O Centro Integrado de Cultura (CIC) recebe em julho um dos maiores festivais de cinema de ficção-científica do país, com uma lista de mais de 75 filmes inéditos nas telas da capital. Serão cinco mostras temáticas, com competição internacional, premiação latino-americana e longas-metragens convidados. Os destaques de estreia desta edição vão para os longas metragens “O Quarto Nascer do Sol” (“Al Patrulea Răsărat”, 2022) da Romênia, e “Caixa Preta” (“Black Box”, 2023) do Reino Unido. O evento será realizado entre 24 e 30 de julho.

Do Brasil teremos duas estreias nacionais: “Espaço Limiar” (2023), de Gabriel Papaléo (RJ) e o premiado “Mata Seco em Chamas” (2022), de Adirley Queirós e Joana Pimenta (DF). Na mostra internacional competitiva de curtas-metragens, filmes de 28 países vão concorrer a diversas premiações. Obras clássicas restauradas, e não muito conhecidas do público, vão dar o tom de diversidade de técnicas do cinema de invenção. Da República Tcheca vem o “Um Cometa Muito Louco” (“Na Kometa”, 1970) do grande Karel Zeman, mestre da animação cut-out e pixilation.

O cineasta Roberto Pires será o grande homenageado do festival, que vai contar com surpresas na programação, debates com realizadores locais, estreias internacionais e tudo relacionado à ficção-científica, gênero do cinema fantástico que mais cresce entre as produções audiovisuais no mundo. Compondo as homenagens, será exibido o documentário “Bahia Sci-Fi” de Petrus Pires, sobre o mítico filme de ficção-científica “Abrigo Nuclear”, que conta no elenco ninguém menos que Norma Benguell, uma das maiores atrizes brasileiras.

Todo festival tem entrada gratuita, com projeções na Sala de Cinema Gilberto Gerlach, no CIC, com classificação indicativa de cada bloco informada no site e na portaria.

A realização do Sci-Fi Floripa é um movimento de ocupação de tela proposto pela Cinemática HUB, com curadoria dos catarinenses Petter Baiestorf e Gurcius Gewdner, coordenação de Andrey Lehnemann e direção artística de Pedro MC. A co-produção do 2º Sci-Fi é da Tempestá Cultural, com apoio da Marte Inovação Cultural, e realização da Cinemática HUB, com apoio do Cineclube Cinema Unisul e Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina, Fundação Catarinense de Cultura.

Programação completa, horários e Classificação Indicativa em scififloripa.com