Estreia da montagem “A Mesa” , com ingressos gratuitos

Os artistas do corpo Ana Otero, Alyssa Tessari, Ariel Gabor, Denise Krieger, Eduardo Bassani, Fabiola Peron, Gelson Forte, Karina Collaço, Karol Alves, Lilian Yamaguchi, Mel Yan, Monica Siedler e o violinista Fernando Bresolin integram o elenco da montagem “A Mesa”, projeto contemplado pelo Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura – Dança 2022, que estreia no Sesc Prainha, em Florianópolis (SC), no dia 5 de maio, às 20h e segue em cartaz nos dias 6, com duas sessões, às 18h e 20h, e no dia 7, a última apresentação, às 18h. A entrada é gratuita.

A montagem conduzida pelas pesquisadoras Diana Gilardenghi, Bia Vilela, Vera Torres, Lucila Vilela e Tejas incorpora o resultado do processo que envolveu oficinas de dança contemporânea, pesquisa teórica, criação de máscaras e montagem, a partir da referência de “A Mesa Verde” (1932), obra clássica do coreógrafo alemão Kurt Jooss.

O projeto mergulha na história da dança para propor, a partir da memória e do tempo contemporâneo, reflexões sobre a sociedade, a arte, a política e a condição humana. Os 13 artistas em cena e as cinco condutoras articulam dança, história e política em um processo criativo coletivo. Com distintas experiências e formações, a equipe agrega artistas de diferentes disciplinas como dança, música, teatro, artes visuais e fotografia. 

A arte, a política e as escolhas humanas

O caráter atemporal de “A Mesa Verde” (1932), de Jooss, aciona o projeto catarinense e permite aproximar situações e temporalidades distintas. Da Alemanha pré-nazista para o atual contexto político-social brasileiro é entender a dança como potência política. A importância histórica e artística serve como fundamentação teórica e conceitual para pensar a dança atual.

             Concebida no entreguerras, a peça de Jooss tem enorme repercussão pois antecipa o movimento nazista que, logo depois, ocupa a Alemanha. O coreógrafo pesquisa e trabalha sobre as danças macabras medievais. Ao compor o tema da morte intercalado com as conferências diplomáticas, critica o jogo político e a responsabilidade com as vidas humanas, traz para a arte a sensibilidade de uma época.

Trata-se de uma obra que não se limita ao seu momento de criação. “A Mesa Verde” suscita até hoje novas montagens, inquietações e reflexões. A leitura do contexto social e político e o modo como organiza a cena, com a vida de uma população sendo decidida numa mesa composta por velhos políticos, transforma o espetáculo em uma referência para pensar a sociedade, a arte, a política e as escolhas humanas.

Equipe da montagem

Concepção e montagem: Diana Gilardenghi, Bia Vilela, Vera Torres, Lucila Vilela e Tejas

Elenco: Ana Otero, Alyssa Tessari, Ariel Gabor, Denise Krieger, Eduardo Bassani, Fabiola Peron, Gelson Forte, Karina Collaço, Karol Alves. Lilian Yamaguchi, Mel Yan e Monica Siedler

Composição e execução musical: Diogo de Haro

Violino: Fernando Bresolin

Voz: Eduardo Bassani

Figurinista: Esha

Iluminação: Hedra Rockenbach

Equipe técnica do projeto

Coordenação: Diana Gilardenghi e Lucila Vilela

Produção geral: Crica Gadotti, Lucila Vilela e Vera Torres

Produção executiva: Crica Gadotti

Oficinas de dança: Diana Gilardenghi e Bia Vilela

Oficina teórica: Lucila Vilela e Vera Torres

Oficina de máscaras: Tejas

Composição e execução musical: Diogo de Haro

Figurinista: Esha

Iluminação: Hedra Rockenbach

Filmagem e edição: Alan Langdon

Design gráfico: Ildo Francisco Golfetto

Fotografia: Cristiano Prim

Assessoria de imprensa: Néri Pedroso

SERVIÇO

O quê: Montagem “A Mesa”

Quando: Dia 5.5.2023 – 20h; 6.5 – 18h e 20h; 7.5 – 18h

Onde: Teatro Sesc Prainha, Travessa Siryaco Atherino,100, Centro, Florianópolis (SC)

Quanto: gratuito, ingresso deve ser retirado uma hora antes da apresentação

REALIZAÇÃO

Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura – Dança – 2022, Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Governo do Estado de Santa Catarina

SAIBA MAIS

@projetocenico_a_mesa