Governadora em exercício anuncia R$ 5 milhões em editais da Fapesc liderados por mulheres

A governadora em exercício, Marilisa Boehm, anunciou nesta quarta-feira, 21, investimentos do Governo do Estado em projetos catarinenses de pesquisa, tecnologia e inovação liderados por mulheres. Até R$ 5 milhões serão repassados, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), para os editais Mulheres+Tec 3 e Mulheres+Pesquisa 1.

As duas chamadas públicas serão lançadas em 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Os detalhes foram apresentados durante o Seminário Final do Programa Mulheres+Tec 1.

O evento, realizado no auditório do Sebrae-SC, em Florianópolis, apresentou iniciativas em diversas áreas como nanotecnologia, sustentabilidade, saúde, agronegócio, entre outros. Na plateia, participantes do Mulheres+Tec 2, que ainda está em andamento, puderam acompanhar os cases de sucesso.

Ex-delegada regional de Polícia Civil, a governadora em exercício, Marilisa Boehm, narrou a própria história de batalhas e conquistas para contextualizar a importância do empreendedorismo feminino. “Eu tive que me impor, ser severa. Trabalhava dia e noite, assim como eu sei que cada uma de vocês luta, diariamente, exaustivamente. Nós mulheres somos empreendedoras por natureza. Empreendemos em casa, no trabalho; a gente compra, vende, negocia. A única coisa que nós precisamos é o despertar do empreendedorismo. E isso eu devo agradecer muito à Fapesc, que está abrindo espaço para as mulheres na ciência, tecnologia e inovação”, disse a governadora em exercício.

Ao dar as boas-vindas às empreendedoras, o presidente da Fapesc, Fábio Wagner Pinto, parabenizou as beneficiadas pelos resultados alcançados. “O governador Jorginho Mello sempre lembra que o nosso estado é o único da federação que tem nome de mulher, e isso é muito emblemático. Serve como uma inspiração para continuamos a fomentar projetos liderados por mulheres. Que as boas experiências de quem participou da primeira edição se reflitam nas próximas iniciativas”, afirmou o presidente da Fapesc.

Antes de apresentar um balanço das ações desenvolvidas no Mulheres+Tec 1 e antecipar detalhes sobre o Mulheres+Tec 3 e o Mulheres+Pesquisa 1, a diretora de Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI) da Fapesc, Valeska Tratsk, enalteceu que os resultados da primeira edição do programa já se refletem na economia catarinense.

Números mostram sucesso do Mulheres+Tec na captação de empreendedoras

A trajetória do Mulheres+Tec confirma que o programa alcançou o objetivo principal: ampliar o número de projetos liderados por mulheres em Santa Catarina. Conforme a gerente de Tecnologia e Inovação da Fapesc, Sônia Bernardini, uma pesquisa realizada em 2020 e 2021 mostrou que apenas 25% dos projetos que buscavam receber fomento público na Fapesc tinham coordenação feminina.

Na primeira edição, 70 propostas foram submetidas à Fapesc e 25 foram selecionadas, recebendo até R$ 60 mil para fomentar o desenvolvimento de produtos, serviços ou processos, totalizando quase R$ 1,5 milhão em investimentos. Na segunda edição, o número de submissões quase dobrou, saltando para 120. Vinte projetos foram selecionados, recebendo até R$ 90 mil cada, num total de até R$ 1,8 milhão.

Para a terceira edição do Mulheres+Tec, o Governo do Estado vai destinar até R$ 120 mil por projeto, totalizando até R$ 2,4 milhões. Além disso, será lançado o Mulheres+Pesquisa, para propostas inovadoras de ciência e tecnologia. Cada projeto poderá receber até R$ 130 mil, com um total de até R$ 2,6 milhões.

A continuidade do Mulheres+Tec e o início do Mulheres+Pesquisa é uma ação que vai ao encontro de uma iniciativa da governadora em exercício, anunciada na segunda-feira, 19.

Marilisa vai coordenar um grupo – de secretárias de Estado, adjuntas e outras líderes que integram a administração estadual – para unificar todas as ações em prol das mulheres que já existem e as que vierem a ser criadas. “O governador Jorginho Mello e eu defendemos que a atenção às mulheres precisa ser colocada em prática permanentemente e de modo cada vez mais eficiente. Por isso, vamos trabalhar com todos os setores de modo coordenado”, comentou Marilisa.

Por ASCOM | FAPESC

Foto: Richard Casas/GVG